domingo, junho 12

Ao meu grande AMOR


Meu pai tem cheiro de honestidade, e me serve de parâmetro para zelar toda a honra que eu tenho na vida, a sua dignidade é alicerce à nossa família.


O homem da minha vida me proporciona coragem, ele é o principal combustível para os meus sonhos, tudo que é realizável a ele, dedico.

Nada seria tão bonito se não houvesse o nosso amor! Meu pai me proporciona as melhores palavras, os melhores beijos, os mais preciosos abraços, a forma mais humana de aceitar e respeitar o próximo.

Cotidianamente, mesmo que a gente demore a se encontrar, ele me faz refletir no silêncio da noite sobre ser integro, corajoso e humilde. No seu casulo interior, o seu olhar me emana gratidão. Quando busco força, busco os seus ensinamentos e exemplo na memória.

Meu pai – por sorte – é meu avô. Um duo de AMOR. Rabisco cartas, envio flores e todas as vezes que o encontro, faço questão de beijá-lo, abraçá-lo e dizer do quanto de amor há em mim. Tenho medo que não haja tempo, por isto, quero que ele tenha a certeza do quanto ele existe em mim.

O homem da minha vida tem o dom de ser poeta, e toda a sua maneira me encanta. Guardo cada delicada palavra que me dedica.

Aonde encontrarei alguém que me liga no aniversário cantando, se declarando numa composição de Tom Jobim? E que me revela como musa da sua vida?

Aonde encontrei um homem que sem qualquer outra razão, me afaga o coração dizendo o quanto me ama e tem medo de me perder? Meu pai quando abraça, me acalma o coração e me enche de felicidade.

O grande homem da minha vida revela o lado valioso de ser pai e avô ao mesmo tempo, deve ser por isto que por ele enxergo horizontes inesgotáveis de realizações.

A ele que será sempre os meus olhos, eu entrego o meu coração e todo o amor que houver nessa vida.