quinta-feira, julho 9

Fora de mim!!!

Digo que não te quero, mas ao acordar você já levanta comigo, nos meus pensamentos, na memória mais recente e seletiva das melhores cenas do nosso filme.

Espanto a tua presença e tento difamar para mim mesma a tua imagem. O fantasma perverso do amor que não entra em out nem pelo meu decreto.

Pois é, a redação foi clara, assim como a minha constituição, regras e deveres de lei.

Declarei em todos os artigos que não pertenço mais a você. A vida é bacana, mas essa insistência de querer com que você ainda more no meu coração já não tem mais nem pé, quanto mais cabeça?! Sendo assim, ausência de equilíbrio, logicamente o meu, porque o seu continua na ponta do pé, mirando os meus passos com o teu olhar 43 que ainda por cima sorri e me confirma saudade.

E o pior é que tens razão. Sei que você não serve mais pra mim, nem cabe mais no porta-retrato da cabeceira, a foto apesar de sozinha, soa bem mais feliz do que aquela em que servia de ilustração para o nosso romance. A história era uma louca encruzilhada que me atordoava o juízo por todos os desgostos que você me causou.

Que brincadeira é esta comigo? Tenho o tino de meu cotidiano bastante perverso para além das manhãs, você querer assolar meus dias, e ainda meus sonhos?!

Faça-me este favor, me largue também do abstrato. Seja perverso como você sempre foi, sem pensar em mim, sem me querer em primeiro plano na tua assombrosa mesquinharia de ser feliz.

Ausente-se dos fundos de minhas convicções, pare de me persuadir com as suas juras, promessas de mudanças, razões que não convém mais ao nosso caso, não largue ela, apenas me largue.

Deixe-me muda, distante, convencida de que o nosso dilema foi só mais um lema, um caso sem sentido, um complexo instintivo de bravura que só ao meu próprio desamor cabe entender.

Preciso de candura, das minhas doces vontades de amortecer meu órgão mais pulsante com a incandescente certeza dos meus sonhos, sem você.

Agora me deixe dormir, e que minha reza chegue ao teu coração antes do teu primeiro porre, quem sabe assim, pelo menos hoje, você não queira dormir pensando em mim, nem me acordar pensando em você...