sábado, maio 23

A falta que faz...

E como se não bastassem os efeitos dos dias de sol, em que se deseja estar por ai acompanhado e crente de paixão, chega os dias de chuva para piorar tudo, e fazer você sentir ainda mais falta.

Hoje é sábado e todas as minhas amigas estão muito bem resolvidas com os seus respectivos, cada uma delas que se apronte para a noite a dois. Não ligo de ser o castiçal, até porque, me faz bem tê-las por perto a qualquer custo, acompanhadas ou não, mas isso cansa, coisa de carência, e não de situações mal resolvidas.

Agora mesmo recebi uma ligação para sair, desopilar um pouco da minha semana estressante de projeto de monografia, concurso, trabalho e mais cinco cadeiras da Universidade, mas, quando penso que nessa noite fria, elas terão além dos casacos e golas altas, cada qual o seu parzinho, embora me faça bem, rir e ser feliz junto a elas, eu prefiro mais uma vez me agarrar aos meus livros e ficar com o que tem me entorpecido de paixão a cada novo livro que meu orientador me sugere. Monografia é o meu sujeito sério, principalmente, quando a paixão vai além das nossas expectativas, e nos consome com prazer em escrever e fazer parte do que se produz.

Mas deixando os livros um pouco de lado, e o racional que me apodera, eu confesso pra vocês, que bem me faria um namorado à minha espera...

Enquanto isso não vem, eu volto aos livros e a Geraldo, esse que tem sido o meu amante racional nas suas canções metafóricas, amorosas e pulsantes...

Agora tenho de ir, ele grita por mim...

Boa noite de sábado a vocês, meus caros leitores.