quinta-feira, maio 24

Perder depois de ter perdido




A gente sempre acha que é mais difícil perder depois de realmente ter perdido. É confusa a frase, mas é bem real.
Um exemplo disto são os términos das relações amorosas. Você termina com o outro cheio de convicções, o outro sofre, implora, faz juras eternas, e você, se quer, tem vontade de ouví-lo. É uma penitência de ligações, de mensagens, até ele (a) cansar porque a verdade é que uma hora a gente cansa.
 Ao cansar, você começa a se interrogar da ausência e começa a sentir falta e bater saudade. Muitas das relações hoje em dia não dão certo por que não existe espaço, as pessoas sufocam-se, não dão tempo para que se sinta falta, que se percebam valores e levem a uma reflexão do que realmente querem.
Vivemos numa fase em que ou somos minados pelo orgulho ou somos submissos demais as nossas relações, quase não existe mais o meio termo. O fato é que as consequências são penosas, bem penosas, pois há um poço de carência e solidão em cada individuo que se acha autossuficiente, e é justamente por isto que as redes sociais estão cheias, repletas de tanta sofreguidão.
É melhor perder com a convicção de querer ter perdido, do que perder sem querer - por orgulho - depois de realmente ter perdido. É bem verdade, as novas paixões, os novos amores existem, e todos nós somos capazes de recomeçar e amar outra vez!