domingo, maio 3

A lua te traz, o sol te leva...

É que a Lua te traz, e o sol te leva em partes...
Quando ele resolveu aparecer, eu andava descrente do destino. Em desatino e desatento para todos os olhares que me cercavam. E você veio. Veio com a sutileza das palavras, dos versos, e das não frases feitas que me devoraram naquela noite sem que precisasse de qualquer beijo para sentir o quanto de afinidade existia . O teu cavalheirismo, paciência e preocupação me encantam. Quanto tempo não sabia do que isso se tratava, e você, com o seu modo todo “Proustiano” me surgiu intenso, descomedido em me mostrar que queria mais. Não tardava a entender a minha demora, e , com cautela, atende as minhas preces ,por mais inquieto que permaneças. Sei, ninguém poderá dizer de nós, nem nós mesmos entendemos essa relação, só sei que aprendo, busco, descubro, compartilho e me refaço. Diante desse coração todo confuso, cheio de mal entendidos, de esperanças e falhas, sempre te comunico as minhas verdades, por saber das tuas, por não querer machucar, nem ser machucada novamente como todos aqueles precipícios no qual desde o inicio me debruçava. De corpo e alma, com mais alma do que corpo me entregava para fazer valer a pena. E lá estava, toda desfigurada com o coração na mão. Quero a sensatez de volta, para que não delire tão fácil e nem saia de mim. Quero almejar pela companhia, sem que de dia pense uma coisa e de noite queira outra. Quero ser constante e intensa também, partilhar essa satisfação em poder te ter aqui, porque sei, você tem um "Q" especial. Mas, é durante a noite, quando a Lua já tem tomado o seu lugar, que a minha vontade te busca para querer estar perto, e , meu pensamento sossegado fica por encontrar teu lugar em mim. É que a Lua te traz, e o sol te leva em partes...