sexta-feira, dezembro 6

Esta semana saiu o resultado do concurso da Cogito Editora, foram selecionadas as 100 melhores poesias do Brasil para publicação em livro. Uma grande alegria, afinal, a construção do poema foi casual, não esperava muita coisa daquele momento dominical de inspiração.

Segue a poesia:

Retrato do eu pelo avesso.
Luana Bispo


O verso que me era prosa
Para poesia deu a vez
Levou a estrofe embora
E dissertativo me fez

A linguagem de estripulia
Que assalta o coração
Faz canção virar cordel
Lirismo tornar narração

Levei o amor na viola
Colori as notas de anil
Casei a letra nas cordas
Reparti a paixão em mil

Sonata virou soneto
Caetano virou Gil
Cazuza rezou o terço
Jobim me invadiu

Trocaram bossa pelo samba
Quase ninguém ouviu
O amor cegou a moça
A paixão causou arrepio

O avesso destas coisas
Leva a tudo a desandar
Bagunça minha razão
Faz o coração acelerar

Se era para ser poesia
Virou letras a saltitar
No impulso desta rima
O AMOR me faz falar

Por isto não esqueça do verso
Nem da rosa que caiu
Leve para casa o tinteiro
Escreva tudo que sentiu

Da palavra faça a frase
Aninhe ela no lugar
Escute o peito batendo
E não pare de narrar

O sentimento que desperta
Hora tem o seu lugar
Quando invade, assola
Por favor, deixe ficar.

Qualquer sintoma de saudade
Estufe o peito de emoção
O carinho que se invade
Faz esta carta, prosa, poesia e canção.

Se não escrever o que se sente
Respire e consiga falar
Só não deixe passar a palavra
Que é nicho sagrado deste luga